Primeiro Semestre da Faculdade

agosto 06, 2015


    Hey gils and boys que tem vontade de cursar teatro algum dia. Para quem quer saber onde, quando e porquê eu escolhi cursar Teatro, acessem o post clicando aqui, que eu explico tudinho para vocês. Esse post é mesmo uma continuação dessa série de posts (que pretendo parar quando me formar) e como finalizamos o primeiro semestre, vim contar sobre as matérias, o que eu aprendi, minhas dificuldades e tudo o que eu passei com o inicio das aulas.

     Essa foi a galera que esteve desde o primeiro dia, quero dizer, primeira semana haha pois nos primeiros dias não fui pois fiquei com medo de trote e coisas do tipo. São pessoas que vieram de vários lugares de São Paulo, pessoas com diversas experiências, alguma iniciaram por curiosidade, outras porque era um sonho desde pequenos e cada um com seu motivo diverso se juntou agora para fazer arte. Desta foto alguns não estão mais conosco, viram que sua vocação era outra, ou ficaram sem como pagar ou outros motivos que as vezes nem sei. Acho que essa vida universitária tem dessas...

Transporte, tempo, dinheiro e greves

     Uma das primeiras dificuldades: acordar as 4:30 da madruga e sair de casa. Tenho duas opções de trajeto, uma é pegar o trólebus até o Jabaquara e outra é pegar um ônibus que me deixa no sacomã, em seguida posso pegar o metrô ou ônibus. O metrô eu chego muito cedo e tenho que andar um pouco e o ônibus eu chego em cima da hora e me deixa na porta da facul. Normalmente eu vou de ônibus, pois tenho crises de bronquite e se eu fosse de metrô chegaria quase duas horas antes de abrirem. São quase duas horas de viagem e as vezes meu pai lindo e maravilhoso me dá uma caroninha até o Jabaquara hehe É praticamente R$20 por dia!! Mas graças a essa história de gratuidade, por enquanto só estou pagando os trólebus (inclusive, tenho que ir resolver antes que o ano acabe). Obrigada senhoooor, se não fosse essa gratuidade eu iria gastar muuuuito e não compensaria sair de tão longe para cursar.

     O que complicou esse semestre também foi os protestos, greves e o caralh* a quatro que tivemos em São Paulo e em São Bernardo. Eu costumo dormir no trólebus e quando acordo estou no Jabaquara (juro, sempre acordo na hora) e vários dias eu acordava e não tinha nem passado da Anchieta. Saia puta da vida porque cada matéria é muito boa (e vocês vão entender durante o post). Por isso a dica que ficou para mim é: não faltar nunca! Pois tem vezes que caso você não tenha um carro e um helicóptero particular, não conseguirá sair nem do seu bairro.

Matérias

     Agora, iniciaremos as matérias que tivemos:



     Segunda-feira: Ainda indecisa sobre qual matéria mais gosto. Mas as aulas do Zé são tipo, litros de informação e você vai bebendo até ele se esvaziar, e na outra segunda ele vem com um novo pote lotado e assim por diante. É tanta informação que as vezes você acha "Ah, isso não vai cair na prova" ou acaba deixando de ouvir uma coisa para anotar outra. E é assim, se parar de beber você engasga, porque ele continua virando o pote de informação sem parar. As aulas de segunda são sobre a história do teatro, iniciamos tudo na Grécia e depois da introdução, da aula de mitologia, ele foi explicando sobre cada autor (em ordem cronológica) e deixo meus favoritos: AristófanesSêneca. Inclusive essa foto abaixo foi da cena que eu e as meninas (Camila e Marcela) apresentamos para nosso trabalho, interpretamos o texto de Aristófanes - Lisistrata (Ou Greve de sexo).




     Terça-feira: Com o André Latorre (será que é parente?) tivemos aulas de interpretação, ouvimos suas experiências, lemos o livro do Stanislavski - A preparação do ator, e foi mais divertido do que eu imaginava, o mais gostoso foi ir acompanhando os capítulos por aula. Quando a aula era de X capítulo, eu lia em casa para acompanhar o racíocinio da dupla na explicação. Ele também nos deu exercícios e ensinou algumas ferramentas como pausa de tensão, de reflexão, cena limite e outras. E digo que fiquei louca também, assisto novelas e peças já procurando identificar cada ferramenta. A partir dessas aulas criamos a peça "É para rir ou para chorar?" dirigida pelo André, onde dividimos a turma entre tragédia e comédia e criamos um verdadeiro conflito em cima de cenas improvisadas pelos atores. Ao final, quem decidia o grupo vencedor era o público.



     Quarta-feira: O dia de ficar zen. Digo isso porque na primeira aula tivemos muito sobre consciencia corporal, então foi importante prestarmos atenção para criarmos uma percepção do nosso próprio corpo, cada articulação, perceber como os corpos são diferentes e ver como cada um tem um corpo ideal, essa aula me proporcionou momentos de muita reflexão comigo mesma. Também tivemos aula de técnica vocal com um professor que é puro amor, ele me convenceu de tomar mel antes de dormir (eu odeio mel) e ensinou alguns exercícios de dicção maravilhosos, que faço sempre que posso (inclusive lendo meus próprios posts) e sempre vejo diferenças absurdas. Quarta é um doa dias mais gostosos.

     Quinta-feira: Nada contra os professores, mas depois de dois dias com aulas práticas, vem um dia inteiro de aulas teóricas, o final de semana está chegando, mil trabalhos para fazer e confesso que concentra-se nessas aulas foi bem dificil. Mas é um grande exercício, parar e ouvir. Nas aulas de psicologia, fiquei com vontade de dar aulas haha, quando as professoras da turma falavam sobre suas experiências, me batia vontade de ir correndo implorar para alguma escola me deixar dar aulas por duas semanas e ir testando alguns métodos. E na segunda aula, a matéria que tinha tudo para ser chata, por conta da Lucinha (nossa atriz, professora e diva da FPA) acabou sendo divertida, séria, mas divertida. O jeitinho dela de explicar interpretando, criando personagens, mudando a voz fez as aulas serem especiais e me lembrou um pouquinho das aulas que tive no período de tempo integral no ano passado.
     
     Sexta-feira: Sabe o que é correr para não perder a primeira aula? Simmm, a aula mais gostosa desse semestre foi improvisação. Uma aula onde eramos livres para criarmos cenas, trabalharmos em grupo e totalmente prática, estudamos em cima do livro de improvisação da Viola Spolin para aprendermos algumas técnicas que hoje vejo que são básicas para uma boa improvisação. E em seguida, mais uma aula como daquelas de segunda e quinta: era você piscar e perder um mar de informações e sair com vontade de dar aula. Não sei o que essa professora faz, mas ela poderia falar durante umas três horas e ao final eu só ia conseguir suspirar, porque é tanta informação em tão pouco tempo, de uma forma tão interativa e gostosa de ouvir que não ligaria de ter um dia inteiro de aula com a Sandra.
Eu tirei o rosto do moço ali porque ele pediu para ninguém ficar postando fotos dele nas redes sociais, então para previnir, deixa assim não é?! Haha Mas na ordem: Eu, Roberto Silva, Moço e Thamiris D'Auria representando o grupo da tragédia com o tema religião.
Essa peça é para o Show de Calouros. Toda a turma do primeiro semestre (ingressantes da faculdade) tem que fazer esse show para os alunos, professores e convidados. É meio que um trote (e que trote!)

Trabalhos, cenas, notas e sistema

     Os trabalhos as vezes são cenas e as vezes não. Alguns professores optam em trabalhar com cenas (já que é um curso de teatro) e outros não. E juro que não sei se o trabalho dobra ou não porque, a cena não da pra resolver simplesmente pela internet ou whatsapp, então quase todos os dias ficamos até 12h30 ensaiando para os trabalhos e só então vamos embora. As notas são divididas entre N1 e N2, você tem que obter 7 em cada uma para poder passar na matéria, caso não obtenha você faz um exame que é uma prova onde você tem que tirar uma quantia de pontos para poder passar. O sistema é assim, durante o semestre só os professores de quarta postavam e atualizavam e os outros não, acho que isso é um problema de todas as faculs haha, mas ao final todos postam. Nele também temos como gerar boletos, mas confesso que tirando a necessidade do boleto e a nota dos professores, eu não gosto do portal acadêmico e acho que daria pra melhorar em alguns fatores. 


     O primeiro semestre foi bem intenso, estávamos nos acostumando a nova realidade. As diferenças do ensino médio para uma faculdade. Muitos professores me disseram que na faculdade os professores não ligavam para os alunos e me deparei com o inverso, os professores da FPA são bem direto e retos, te ouvem e tentam te coordenar da maneira correta, o nosso coordenador do curso também nos escuta e nos aconselha da melhor forma. 

     O mais gostoso é que em uma época do ano temos apresentações da Cia da faculdade e dos estudantes que estão na metade ou no final do curso. Assim você consegue ver a evolução, onde você pode chegar, os futuros atores brasileiros de pertinho (antes mesmo de se formarem rsrs). E a direção: maravilhosa né? Saber que estou tendo aula com esses diretores e grandes profissionais me dá até arrepio. Essa foto foi da que teve o mês de junho/julho.
     Para quem quiser conhecer a minha instituição, ela tem cursos de dança, música, moda, designer, publicidade, artes plasticas e muito mais, basta clicar aqui e ir para o site. AAAAH e se forem cursar algo lá, digam que foi indicação da Bruna Della - Teatro Matutino para a Bruninha aqui ganhar desconto (Sério, seria muita bondade da parte de vocês).

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Desafio Setembro

2a Semana

Café da Manhã: Café + Crepioca
Lanche: Uvas
Almoço: Omelete
Lanche: Iogurte
Janta: Omelete
Exercícios: 10min pulando corda (todos os dias)
Cabelo: Reconstrução
Peso: 95kg - 93kg

Postagem em destaque

Marcas brasileiras do amor

   Virá e mexe algumas marcas veganas surgem em meus feeds e descubro algo novo através de amigos. Por que não compartilhar com vocês alg...