Entrevista: Autora Carolina Matsuo

maio 23, 2014




 Em meio a tantos novos autores trazendo livros e mais livros para nossas estantes, Carolina Matsuo resolveu escrever um livro e disponibiliza-lo para que as pessoas possam ler online, através de plataformas como a Amazon. Entenda o porque e conheça um pouco melhor da autora do livro "O Sumiço de Beatriz".

1) Conte-nos mais sobre como decidiu escrever um livro.



Oi Bruna, primeiramente quero agradecer por você abrir um espaço no seu blog para divulgar a minha obra, e de muitos outros escritores iniciantes.

Pois bem, desde pequena eu gostava de escrever histórias, e tinha uma mania de escrever todos os domingos. Foi em um desses domingos que a minha personagem Beatriz surgiu. Escrevi “O Sumiçode Beatriz” quando tinha 11 anos, claro que a história mudou, mas a característica da personagem não.

Anos mais tarde, estava mexendo nas minhas coisas e folheei meu caderno de historias daquela época. Foi então que eu decidi reescrever a história para se tornar um livro.



2) Por que tomou essa decisão de reescrever e tornar essa história um livro?

O número de jovens adultos e adultos que tem o hábito da leitura ainda é bastante reduzido no país, então eu decidi reescrever a história com o objetivo de incentivar a leitura ou resgatá-la nesse público.


3) Como você se descreveria?

Sou perfeccionista, determinada e bastante focada.



4) Uma palavra que defina seu livro.

Envolvente



Carolina com o caderno de quando ela tinha 11 anos de idade
5) Como foi o processo de criação dele? Quanto tempo teve que se dedicar?

Tive que fazer várias pesquisas para decidir alguns elementos que cito na história e isso leva-se bastante tempo. Levei mais de um ano para criar “O Sumiço de Beatriz”.



6) Tem outra profissão? Pretende deixa-la de lado para continuar escrevendo livros?

Sou MEng. e engenheira, e por enquanto pretendo fazer as duas coisas ao mesmo tempo.


Trechos do livro, imagem da Fan Page


7) Conte-nos mais sobre o livro "O Sumiço de Beatriz".

“O Sumiço de Beatriz” é uma trama envolvente pelos seus personagens, pela mistura de elementos reais, pela aventura e romance. Relaciono os acordos entre as petrolíferas brasileira e venezuelana com envolvimento de paramilitares e uma arma de guerra, que somente Beatriz e um professor doutor judeu conseguem desenvolver.


Deixo a sinopse abaixo:

Em meio a acordos entre a petrolífera brasileira e a venezuelana, uma organização paramilitar liderada por corruptos faz negociações com militares venezuelanos para produzir um instrumento de guerra, que apenas duas pessoas são capazes de  desenvolver: Beatriz, uma estilista que ganhou vários prêmios como figurinista e maquiadora, criada por sua tia, Giselda; e o professor Dr. Yaacov Baum, um professor-pesquisador judeu de uma prestigiada universidade.

Durante a negociação do projeto de tal instrumento, num evento responsável por uma série explosões, Beatriz foge do cativeiro, mas o professor é ferido, e sua tia, que estava no local, é dada como morta.

Beatriz recorre ao seu amigo de infância, Tomaz, e tenta lhe contar os fatos. Porém, antes mesmo que ela explique o que está acontecendo, é obrigada a fugir dos militares que a perseguia.

Tomaz, chef de cozinha e dono do Tradicional Café, sem entender o que está acontecendo, e preocupado com a atitude da amiga, mergulha em uma profunda investigação para encontrá-la. Eventualmente, ele acaba descobrindo uma rede de intrigas e corrupção que envolve um mercador de armas, as FARC e algo muito além do que ele poderia imaginar.



8) Para você, quem é Beatriz? Ela tem alguma ligação com sua infância? 

Não tem ligação com minha infância. Para mim, Beatriz é qualquer pessoa que seja forte, corajosa, que tenha garra. Uma pessoa disposta a enfrentar as dificuldades que se enconta pela vida.



 
Imagem de Gavinho.eti.br

9)Por que um livro digital e não impresso?

É muito difícil um autor independente vender seus livros em uma grande livraria, e mesmo que vendessem, teria que ser pela internet ou sob encomenda. Isso levaria alguns dias, e daria mais trabalho do que simplesmente compra-lo digital. Além disso, gostaria que “O Sumiço de Beatriz” fosse acessível para todas as pessoas, e não vendesse apenas em uma região do país, como pode acontecer com o livro impresso.



 10) Como é publicar um livro de forma independente?

Caroline Matsuo
É bastante difícil, pois se tem que lidar com tudo. Deve-se pesquisar bastante até encontrar profissionais capacitados e com experiência para fazer toda a parte de capa/imagem, revisão, diagramação, etc. Tem que correr atrás e se preocupar com tudo aquilo que uma editora poderia fazer por você... e mais um pouco. (rs)



 11)  Deixe um recado para futuros escritores.

Deixo um recado não só para os futuros escritores, mas isso vale para todas as pessoas. Acreditem em seus ideais, objetivos e sonhos, persistam e façam a sua parte da melhor maneira que puder.



 12)  Deixe um recado para seus futuros leitores.

Desejo que “O Sumiço de Beatriz” deixe os leitores incentivados a ler cada vez mais, e criasse um hábito de leitura.


Eu achei a Carol tão fofa e simpática e fiquei curiosa para ler "O Sumiço de Beatriz". 
Caso tenham interesse, curtam a fan page do livro aqui.
 O que acharam da entrevista?

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Desafio Setembro

2a Semana

Café da Manhã: Café + Crepioca
Lanche: Uvas
Almoço: Omelete
Lanche: Iogurte
Janta: Omelete
Exercícios: 10min pulando corda (todos os dias)
Cabelo: Reconstrução
Peso: 95kg - 93kg

Postagem em destaque

Marcas brasileiras do amor

   Virá e mexe algumas marcas veganas surgem em meus feeds e descubro algo novo através de amigos. Por que não compartilhar com vocês alg...